Um Presente de Fim de Ano do Governo

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA , (…),

DECRETA:

Art. 1º O Decreto nº 6.306, de 14 de dezembro de 2007, passa a vigorar com as seguintes alterações:

“Art. 15-A…………………………………………….

XXV – nas operações de câmbio liquidadas a partir de 28 de dezembro de 2013 destinadas ao cumprimento de obrigações de administradoras de cartão de uso internacional ou de bancos comerciais ou múltiplos na qualidade de emissores de cartão de crédito ou de débito decorrentes de saques no exterior efetuado por seus usuários: seis inteiros e trinta e oito centésimos por cento; e

XXVI – nas liquidações de operações de câmbio liquidadas a partir de 28 de dezembro de 2013 para aquisição de moeda estrangeira em cheques de viagens e para carregamento de cartão internacional pré-pago, destinadas a atender gastos pessoais em viagens internacionais: seis inteiros e trinta e oito centésimos por cento.

………………………………………………….” (NR)

Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 27 de dezembro de 2013; 192º da Independência e 125º da República.

DILMA ROUSSEFF

Guido Mantega

=======================================================

É isso aí galera, hoje a notícia não é tão boa para quem está vindo para Irlanda ou está pensando em fazer qualquer viagem para o exterior.

Para quem não viu a notícia nos jornais ou não entendeu o decreto acima, ontem a ilustríssima presidenta da república, a Senhora Dilma Roussef, decretou aumento na taxa de IOF de 0,38% para 6,38% para algumas modalidades de operações em moeda estrangeiras, incluindo o VTM.

Para quem não sabe, o VTM é era o método preferido pelos intercambistas para levar dinheiro ao exterior, por ser seguro, prático e recarregável (Mais informações sobre o VTM no post Real x Euro).

Enfim, o que isso significa… À partir de 28/12/2013, para carregar o seu VTM será cobrada uma taxa de 6,38%, que antes era de 0,38%. Se não bastasse o alto valor do Euro, ainda temos mais essa.

Só para vocês terem uma noção, eu fiz uma pesquisa rápida na internet e achei uma casa de câmbio que ainda não alterou o valor do IOF e uma outra que já alterou o valor do IOF. A diferença é de R$ 0,22. Claro que a cotação varia de uma casa de câmbio para outra, mas já da pra ter uma noção da bomba.

Nesse post eu foquei no VTM, pq é o meio mais comum entre intercambistas, mas não se limita a isso, tbm sofrerá com a nova taxa de IOF:

– Saques e pagamentos com cartões de crédito (*)
– Saques de conta corrente feitos no exterior
– Pagamentos com cartões bancários na função débito em conta corrente
– Carregamento de moeda em cartões pré-pagos (VTM, Cash Passport, etc)
– Compra de cheques de viagem (traveller checks)

(*) O cartão de crédito não sofreu alteração, pois desde 2007 é cobrado IOF de 6,38%.

A única modalidade que não foi afetada foi a compra de dinheiro em espécie, essa continua com o IOF de 0,38%, por enquanto…

Enfim, uma bela rabada de final de ano para quem pensa em sair do BraZiiil.

Queremos agradecer a todos que acompanharam nosso blog durante esse ano e desejamos desde já um ótimo e próspero ano novo!

Um abraço a todos!

Anúncios

Real x Euro

Não foi muito difícil decidir como levar dinheiro, afinal a forma mais prática, barata e segura  sãos os cartões pré-pagos em moeda estrangeira. Cartões pré-pagos nada mais são que cartões de débito, que podem ser utilizados para compras e saques em caixas eletrônicos no exterior.
A vantagem de se utilizar o cartão é que em vez da taxa de 6,38% que incide sobre as operações feitas com cartões de crédito internacionais, o viajante pagará 0,38% de IOF e mais uma % do lucro da casa de câmbio (varia de casa pra casa).
É necessário tomar atenção em alguns pontos dos cartões pré-pagos: Há um limite diário para saques, há uma taxa cobrada para cada saque realizado, tarifa por inatividade. Vale lembrar que cada bandeira tem suas regras, portanto se atente nisso na hora de decidir por qual optar.
Nós optamos pelo tradicional VTM, o Visa Travel Money, mas no mercado existem outras opções, como o Mastercard Cash Passport e o Global Travel Card, da American Express.

VTM

O segundo passo foi achar uma fornecedora do cartão, a nossa opção foi a Câmbio BR, mas não deixem de procurar bem, vários bancos oferecem o cartão, porém as cotações mais em conta são as das casas de câmbio.
Pela Câmbio BR a compra de moeda estrangeira é muito simples, basta realizar a compra pelo site e realizar o depósito on-line. Assim que o pagamento for confirmado, eles enviam o cartão para sua casa, se estiver na grande SP o frete é grátis. Para realizar cargas adicionais o procedimento é o mesmo.
OBS: O único inconveniente que eu achei é que a cada recarga temos que imprimir o recibo, assinar, digitalizar e mandar de volta, mas se é por questão de segurança acho válido o “trabalho”.
Também vamos levar uma parte em espécie para emergências e outra dica é quando precisar sacar, não ir sacando de pouquinho em pouquinho, devido a taxa de saque, então melhor sacar bastante de uma vez!
Recentemente descobrimos uma outra forma bastante simples de levar dinheiro, pelo nosso cartão de débito daqui do Brasil mesmo (cartão internacional, claro rs), você paga somente o IOF de 0,38% e utiliza a cotação do dia! Também vale ficar atento as demais taxas que seu banco pode vir a cobrar, como a taxa de saque. Portanto converse com seu gerente para entender como funciona essa modalidade em seu banco.

    Depois do nosso primeiro mês vamos postar uma tabelinha dos nosso gastos (esperado x realizado) pra vocês terem noção de quanto levar!

Espero que o nosso blog ajude vocês, como muitos outros blogs nos ajudaram, e ainda ajudam!

Bjs!